Cuidado com o que você fala perto de seus filhos…

desenho

 

Olá! Vi essa charge e fiquei imaginando…

Realmente, é preciso tomar muito cuidado com o que falamos perto das crianças…

Precisamos buscar sabedoria para não fazer comentários!

Fico observando minha filha de 7 anos e é impressionante como ela é observadora e quer saber de tudo.

Lembre- se; nossas crianças são como  “esponjas” que absorvem coisas boas e ruins.

Os pais são os maiores exemplos!

Um comentário seu poderá repercutir na vida inteira de seus filhos.

Realmente é a lei da colheita.

Busque sabedoria e comente somente o necessário.

Com certeza, seus filhos estarão na igreja com você ao chegarem a adolescência.

Pense nisso!

Um abraço!

Rosielly Souza

Também! Um principio…

Olá! No dia 25/06/2015, ocorreu a reunião do Ministério de Mulheres na Igreja Viver de Deus e gostaria de compartilhar com você sobre algumas coisas  que falamos.

O Princípio do TAMBÉM!

Deus tem tocado muito nosso coração dando temas relacionados a princípios que podem fazer uma grande diferença em nossa vida com mulher. Os temas nos levam a fazer uma reflexão sobre nossas atitudes como: esposas, profissionais, administradoras do lar, amigas, servas de Deus, mães…

No livro “A Experiência do Lar”, de Devi Titus, há um capítulo chamado “Princípio do Também”.

livro-a-experiencia-do-lar---devi-titus

“O princípio do também é definido pela atitude voluntária de fazer mais do que é pedido a você.” (Devi Titus, A Experiência do Lar, p.32).

Devi explica a diferença entre instrução e princípio. A instrução lhe ensina passo a passo como algo específico deve ser feito, e não se aplica a outras áreas da sua vida (por exemplo, como fazer um bolo de caixinha), já o princípio pode ser utilizado em todas as áreas das nossas vidas (por exemplo: a lei da semeadura onde, tudo o que plantarmos, também colheremos(se plantamos gentileza colhemos gentileza, dinheiro no banco colhemos rendimentos…).

Princípio é aquilo que pode ser aplicado em todas as áreas de nossa vida, é aquilo que levamos conosco. Imagine se em todas as atividades que você fizer… pensar que está fazendo para Deus! Ele nos convida a servir!

E tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor, e não aos homens,
Sabendo que recebereis do Senhor o galardão da herança, porque a Cristo, o Senhor, servis.

Imagine: fazer tudo além do que é pedido e bem feito, independente do que o outro irá pensar. Pensando em Deus! O incrível é que são coisas tão simples e que podem fazer a total diferença no meio que você vive(posteriormente estarei citando alguns exemplos do livro e meus).

Veja a história do servo de Abraão que foi encontrar uma esposa para Isaque.

O servo partiu, com dez camelos do seu senhor, levando também do que o seu senhor tinha de melhor. Partiu para a Mesopotâmia, em direção à cidade onde Naor tinha morado.
Ao cair da tarde, quando as mulheres costumam sair para buscar água, ele fez os camelos se ajoelharem junto ao poço que ficava fora da cidade.
Então orou: “SENHOR, Deus do meu senhor Abraão, dá-me neste dia bom êxito e seja bondoso com o meu senhor Abraão.
Como vês, estou aqui ao lado desta fonte, e as jovens do povo desta cidade estão vindo para tirar água.
Concede que a jovem a quem eu disser: ‘Por favor, incline o seu cântaro e dê-me de beber’, e ela me responder: ‘Bebe; também darei água aos teus camelos’, seja essa a que escolheste para teu servo Isaque. Saberei assim que foste bondoso com o meu senhor”.
Antes que ele terminasse de orar, surgiu Rebeca, filha de Betuel, filho de Milca, mulher de Naor, irmão de Abraão, trazendo no ombro o seu cântaro.
A jovem era muito bonita e virgem; nenhum homem tivera relações com ela. Rebeca desceu à fonte, encheu seu cântaro e voltou.
O servo apressou-se ao encontro dela e disse: “Por favor, dê-me um pouco de água do seu cântaro”.
“Beba, meu senhor”, disse ela, e tirou rapidamente dos ombros o cântaro e o serviu.
Depois que lhe deu de beber, disse: “Tirarei água também para os seus camelos até saciá-los”.
Assim ela esvaziou depressa seu cântaro no bebedouro e correu de volta ao poço para tirar mais água para todos os camelos.
Sem dizer nada, o homem a observava atentamente para saber se o Senhor tinha ou não coroado de êxito a sua missão. Gênesis 24:10-21

Quantas vezes em nossas vidas pensamos “Já está bom, fiz tudo o que dava para fazer” ou ainda “Isso não é responsabilidade minha!”. Isso significa que podemos melhorar (e MUITO!) ao aplicar esse princípio em nossas vidas.

Abraão queria garantir que sua nora tivesse as qualidades, o caráter e os valores de sua família. O servo, então, fez uma oração muito incomum, pedindo a Deus que a mulher que fosse para ser a esposa de Isaque respondesse:‘Bebe; também darei água aos teus camelos’.

Rebeca estava mesmo muito disposta, pois além de tirar água para toda sua família, ela ainda ofereceu água aos camelos, o que significa que ela teria que retirar, aproximadamente, mais 200 litros. Esta atitude revela uma mulher responsável, prestativa, diligente, disposta a dividir, cortês, cuidadosa com desconhecidos, hospitaleira, submissa à autoridade de sua família e que terminava tudo o que começava.

E como aplicar esse princípio em nossas vidas? Como falamos, ele é aplicável a todas as áreas. Vejamos alguns exemplos que o livro nos dá e outros práticos:

– Ao ver que a pia do banheiro está com respingos ao lavar sua mão enxugue- também!

– Ao chegar no caixa de supermercado, cumprimente a funcionária- também!

– Ao se deitar para dormir com sue marido, seja carinhosa- também!

– Ao chegar em casa tire a roupa e pendure- também!

– Na hora de sair do trabalho, fique mais um pouquinho – também!

– Guarde as suas coisas, e tire a poeira – também!

– Tome banho, e retire o cabelo do ralo – também!

– Tire a roupa do varal, e dobre-as – também!

– Ao preparar uma mesa, enfeite-a com flores – também!

Ou seja, façamos mais do que é pedido ou esperado de nós!

Para conclusão as mulheres foram divididas em pequenos grupos e algumas perguntas foram entregues para que elas discutissem com base no conteúdo. Após isso, algumas falaram e foi feita a contextualização da fala delas com o conteúdo ministrado.

Que Deus te abençoe e te de sabedoria para utilizar esses princípios!

Um abraço!

Rosielly Souza

Busque sabedoria em relação ao seu casamento

Olá! Deus é tão maravilhoso que nos dá possibilidade de reflexão sobre nossas atitudes diante das pessoas que amamos. Ele nos capacita para mudança e nos faz cada dia mais felizes.

Compartilho com você um texto interessante, retirei do Blog Mamãe Real de Tathiana Schulze. Após o texto colocarei os endereços.

Vale a pena ler:

Uma jovem mulher percebe ter abusado de seu marido por anos sem se dar conta

“Nota: Este texto tornou-se viral nos Estados Unidos esta semana. A autoria dele é anonima, mas mesmo assim achei fantástico. Acredito que uma das melhores coisas que podemos fazer pros nossos filhos é viver um relacionamento saudável com nossos maridos e é disso que este texto trata, por isso resolvi traduzi-lo e publicá-lo aqui!

************************************************

Minha ficha caiu por causa de um pacote de hamburguers. Eu pedi ao meu marido para parar na loja pra comprar algumas coisas pro jantar. Quando ele chegou em casa, ele colocou as sacolas em cima da mesa e eu percebi que que ele tinha comprado um hamburguer diferente do que eu normalmente compro.

Eu perguntei: “o que é isso?”

“Hamburgers congelados” ele respondeu, meio confuso.

“Você não comprou o tipo correto”, eu disse.

“Não? Por que?” Ele respondeu com sua testa enrugada.”

“Eu sempre compro hamburguer feito com carne de primeira e este é de segunda”.

Ele sorriu e disse “Ah, é só isso? Eu pensei que eu tivesse me confundido com algo grande”

E foi assim que começou. Eu dei um sermão pra ele. Eu reclamei que ele não era inteligente. Por que ele não comprou a carne de melhor qualidade e mais saudável? Ele leu a embalagem? Por que eu não posso confiar nele? Eu também me indignei porque como poderia ele não notar nestes anos todos que eu sempre compro o hamburguer de primeira? Será que ele nunca presta atenção em nada?

marriageE enquanto ele ouvia minha indignação por causa do hamburguer, murmurando que não era um problema tão grande e que ele iria comprar o correto da próxima vez, eu vi seu rosto mudar de expressão. Eu já via esta expressão algumas vezes nos últimos anos. Uma mistura de desmoralização e resignação. Parecia com a cara que meu filho faz quando é corrigido. E eu pensei: “Por que eu estou fazendo isto? Eu não sou a mãe do meu marido!”

E eu subitamente me senti terrível. E envergonhada. Ele estava certo. Não era algo tão importante pra eu ficar tão irritada. E eu perdi a cabeça por causa de um pacote de hamburguer que ele generosamente parou pra comprar assim como eu tinha pedido. No meio de me sentir envergonhada, eu apenas murmurei algo como “ah, vou ter que me virar com este hamburguer mesmo” e fui começar o jantar.

Ele parecia aliviado que a discussão tinha acabado e saiu da cozinha.

E então eu me sentei e pensei honestamente sobre o que eu tinha acabado de fazer. Algo que eu já tinha feito tantas outras vezes, provavelmente.

O “momento do hamburguer” certamente não foi a primeira vez que eu dei uma bronca no meu marido por não fazer as coisas como eu acho que deveriam ser feitas.  Lembro-me de várias vezes que o critiquei por colocar algo no lugar errado ou esquecer alguma coisa e eu estava sempre ali pra mostrar pra ele seu erro.

Por que eu faço isso? Que benefício me traz sempre diminuir meu marido? O homem que eu recebi como meu parceiro pra vida toda. O pai dos meus filhos. O homem que eu quero ter ao meu lado pra sempre. Por que eu faço aquilo que muitas vezes as mulheres são acusadas de fazer: tentar mudar o jeito que ele faz cada pequena coisa? Será que estou indo a algum lugar com isso?

Por que o meu jeito tem que ser o jeito certo e o jeito dele o jeito errado? Desde quando se tornou correto corrigi-lo e apontar cada coisa que ele faz que não é como eu gostaria?

E como isso o beneficia? Será que isso o faz pensar: “Uau, certamente eu sou sortudo dela me colocar na linha o tempo todo.” Eu duvido. Provavelmente ele acha que eu estou no pé dele sem motivo e o leva a se afastar.

Esses dias achei um caco de vidro no lixo. Perguntei a ele o que tinha acontecido. Ele me disse que quebrou um copo mas preferiu não me falar pois não queria que eu reclamasse por causa disso.

Outro dia encontrei um par de meias no lixo. Peguntei a ele o que tinha acontecido. Ele me disse que tinha por acidente colocado as meias brancas junto com a roupa colorida na máquina de lavar. Quando viu as meias manchadas, preferiu jogá-las do que me ouvir dizer pela centésima vez como separar as roupas brancas das coloridas.

Então chegamos a um ponto que ele achava mais fácil e menos estressante esconder as coisas do que admitir que ele cometeu um pequeno erro. Que tipo de ambiente eu criei que o faz acreditar que ele não pode cometer erros?

E vamos dar uma olhada nestes “erros”. Um copo quebrado. Meias manchadas. Erros normais que qualquer um pode fazer.  Mas ele estava certo. Muitas vezes quando ele cometia um pequeno erro, eu passava um sermão de como as coisas deviam ser feitas. Ele sempre ouvia por um tempo e depois dizia: “acho que essas coisas não são tão importantes pra mim.”

Agora eu entendo o que ele queria dizer: “estas coisas que te deixam tão chateadas são pequenos detalhes, uma questão de opinião, uma preferência, e eu não vejo porque fazer uma guerra disso.” Mas eu interpretava como se ele não se importasse comigo ou se como ele não entendesse as coisas. No meu inconsciente eu pensava que eu era a que fazia as coisas funcionar aqui em casa.

Eu comecei a observar minhas amigas e notar as coisas que elas reclamavam nos seus maridos e comecei a perceber que não estava sozinha. De alguma forma, muitas de nós acreditamos na mentira de que a esposa sempre sabe melhor e é o cérebro da casa.

É um estereotipo fácil de se acreditar. Olhe na midia. Tvs, filmes, propagandas. Cheios de maridos bobões com esposas inteligentes e sabem-tudo. Eles não sabem cozinhar. Eles não conseguem cuidar das crianças. Se você pedir pra ele comprar duas coisas, ele vai voltar com duas, e uma delas estará errada. Eles são todos iguais. Dia a dia estas são as imagens que vemos na mídia.

O que essa constante reclamação e murmuração faz é enviar uma mensagem aos nossos maridos de que nós não os respeitamos. Nós não acreditamos que eles sejam inteligentes o suficiente pra fazer as coisas certas. Nós já sabemos que você vai fazer besteira. Se ele for um homem seguro, provavelmente ele vai se sentir ressentido com você. Se ele for inseguro, possivelmente ele vai começar acreditar em você e achar que ele não sabe fazer nada direito. E nenhuma destas respostas serão boas e benéficas pra vocês e nem pro casamento.

E quando penso em situações opostas, quando eu fui quem cometi os erros, vejo que ele foi muito mais graciosos comigo porque ele não fica querendo me mudar em cada pequeno detalhe.

O ponto central em tudo isso é que eu escolhi este homem como meu marido. Ele não é meu empregado. Ele não é meu escravo. Ele não é meu filho. Quando eu casei com ele, eu não achava que ele era um estúpido. Ele não precisa ser repreendido por mim só porque eu não gosto do jeito que ele faz certas coisas.

Quando eu entendi isso, eu comecei a perceber todas as coisas boas nele. Ele é inteligente, uma ótima pessoas, ele é otimo com as crianças. Além disso, ele não me repreende cada vez que eu faço algo diferente do que ele, pelo contrário, ele cede muitas vezes pro meu jeito de fazer as coisas. E em vez de focar nestas coisas, eu estava focando só no negativo. E eu sei que não sou a única que faço isso.

Se nós continuarmos a fazer nossos maridos se sentirem mal porque eles cometem erros ou não fazem as coisas exatamente como gostamos, é bem possível que eles parem de se envolver ou começem a acreditar que eles são incapazes mesmo.

No meu caso, estou falando do meu companheiro de muitos anos. O mesmo que troca o pneu do meu carro na chuva, que cuida de mim quando estou doente, que ensinou nossos filhos a andar de bicicleta.

O homem que sempre trabalhou duro pra proporcionar uma vida decente para nós.  E as vezes eu fico brava por causa de um prato fora do lugar.

Desde que percebi isto, estou mudando, e o clima aqui em casa melhorou muito. Estamos mais a vontade um com o outro e nos vemos como companheiros do mesmo time em vez de oponentes. Aprendi até a ver que o jeito dele de fazer as coisas é muitas vezes melhor que o meu.

São necessárias duas pessoas para que uma parceria aconteça. Nenhum está sempre certo e nenhum está sempre errado. E nem sempre veremos as coisas exatamente do mesmo jeito. Você não se torna melhor, ou mais inteligente, ou superior por apontar cada coisinha que não é como você queria. Amigas, lembrem-se, é apenas carne para hamburguer!

Curta nossa página no face para estar conectada com outras mamães reais!

Este texto não é de minha autoria. Procurei pela autora mas este texto foi escrito em anonimato e se tornou viral aqui nos Estados Unidos no mês de maio, sendo republicado em centenas de sites. A tradução foi feita por mim e se você quiser ler o original em inglês pode procurar aqui:

http://brando.tickld.com/x/woman-realizes-that-shes-been-accidentally-abusing-her-husband-this-whole-time”.

Texto retirado de: http://www.mamaereal.com/ https://www.facebook.com/pages/Mam%C3%A3e-Real/1446634262222924?sk=timeline / http://mamaereal.com/a-blogueira/

Espero que você tenha gostado!

Que Deus te abençoe e te guarde!

Um abraço!

Rosielly Souza

A Mala proibida…

 

Olá! É tão bom ver o quanto Deus fez cada pessoa tão diferente e especial… Nas adversidades da vida Ele nos ensina. Esses dias tenho pensado muito sobre isso, pois meu pai faleceu recentemente e tive a oportunidade de aprender várias coisas. 

Ele faleceu aos 92 anos, com um casamento de 67 anos, teve 6 filhos sendo que a mais velha tem 64 anos e a mais nova sou eu com 39 anos. 

São muitas coisas que eu poderia escrever sobre meu pai, mas tem algo especial que quero registrar:

Durante toda minha vida, desde a infância até pouco tempo, vi que meu pai tinha uma mala de madeira  e ele reservava momentos para abrir a mala e olhar tudo que tinha lá dentro. Na  infância eu tentei várias vezes descobrir o que tinha lá dentro, mas ela tinha chave. Quando ela estava aberta e ele via que alguém se aproximava fechava. A mala tinha um espelho e ele me deixava olhar apenas no espelho. O tempo passou, ninguém tinha descoberto o que havia, tentei algumas vezes nos últimos três anos fazer com que ele abrisse, mas ele desconversava.

Como ele faleceu, nós, os filhos precisamos tentar achar a certidão de casamento dele para tirar o atestado de óbito. Meus irmãos procuraram em todos os lugares. Onde restou procurar? Na mala.

Ninguém nunca teve coragem de mexer naquela mala, quando abrimos tivemos uma surpresa! Não apenas a certidão de casamento estava lá, mas a de nascimento dele e da minha mãe. Além da certidão de nascimento da maioria dos filhos. O que mais tinha lá? Os boletins e fotos dos filhos quando crianças. Isso mesmo!Ele passava todo aquele tempo olhando os boletins e fotos. Também achamos algumas coisas escritas dele. 

Portanto, na mala não havia dinheiro, mas havia algo importante para todos os filhos. Para mim foi como um tesouro que Deus deu a oportunidade que eu encontrasse. Agradeço à Ele por isso!

Portanto, imagino quantos emoções, dificuldades e sonhos meu pai teve ao logo de seus 92 anos.O sonho dele era que os filhos fossem prósperos, estudiosos, trabalhadores e felizes.

Na foto abaixo está escrito o seguinte:

” Tudo bom graças a Deus. Que esta bondade continuará por muitos  e muitos anos, Peço a Deus que olhe meus filhos e netos que nunca desanimem com o trabalho e a fé em Deus. Amém!”

papai

Compartilho um pouco da minha história com você para dizer que: nem sempre nossos pais dizem tudo que pensam de nós. Sei de uma coisa! Eles sempre querem o melhor, mesmo que não saibam expressar. Meu pai pode ser um exemplo claro sobre isso. Quantas malas no coração de tantos pais por aí…

Sabe o que é bom! Quando Deus leva alguém que tanto amamos lembramos de tantos momentos bons, dos bolos que eu fiz que ele amava, da minha infância, do cuidado dele com meu marido, da preocupação dele com os horários, de como ele gostava dos docinhos e salgadinhos de festas…

Não sei se você terá a honra de ver seus pais bem velhinhos, por isso te oriento a honrar enquanto há tempo, porque todo dia é dia dos pais e mães. Lembre- se: o tempo não volta. Deus te dará forças para dar seu melhor!!!

Pense nisso, aproveite seu tempo!

Faça algo gostoso, dê o seu melhor! Deus e contigo!

Um abraço!

Rosielly Souza

Prevenção

Olá! Já estamos em junho e gostaria de te perguntar: você já fez os exames de rotina de câncer de colo uterino e mama? Se você ainda não fez os exames de rotina esse ano é importante marcar uma consulta. Lembre- se: o corpo é o Templo vivo do Espírito Santo e é sua responsabilidade cuidar dele.

Segue abaixo algumas orientações:

  • O câncer cervical ou de colo do útero é o segundo tipo de câncer que mais mata no mundo, perdendo apenas para o câncer de mama. Embora essa estatística seja assustadora, é um tipo de câncer que pode ser evitado.O HPV ou vírus do papiloma humano é altamente contagioso. É uma DST (Doença Sexualmente Transmissível) sendo esta a principal via de contágio. A mãe também pode infectar o filho durante o parto. Há relatos de transmissão pela mão, mas é raro.

    O vírus também causa crescimento anormal de células na região algumas vezes chamada de verruga, crista de galo, figueira ou cavalo de crista. Nem todos os HPV levam ao câncer, existem mais de 150 tipos e apenas alguns podem causar câncer do colo do útero ou retal: os do tipo 16 e 18 são os responsáveis por esse tipo de câncer.

    Os sinais de câncer cervical não são tão evidentes como os de mama que podem ser percebidos pelo toque. Mas, existem maneiras de se prevenir observando-se os sinais. Procure imediatamente o ginecologista caso perceba:

  • 1. Corrimento incomum

    Quando o câncer começa a crescer dentro do colo do útero, as células da parede da cavidade começam a desfazer-se produzindo um corrimento aquoso abundante.

  • 2. Verrugas

    Segundo a ginecologista Rosa Maria Leme, “O aparecimento de pequenas verrugas (externas ou internas) serve como um sinal vermelho para algumas doenças, como o HPV, que na mulher aumenta muito as chances de câncer de colo de útero”.

  • 3. Dor ou sangramento

    Fora do período menstrual qualquer sangramento deve ser investigado, ou mesmo corrimentos escuros ou rosados. Como o câncer cervical cresce nas paredes do colo do útero, estas se tornam ressecadas e podem até rachar causando sangramento por qualquer desconforto, seja relações sexuais ou até mesmo por andar. Pode haver também sangramento retal ou da bexiga.

  • 4. Anemia

    Se seus hábitos alimentares não mudaram e você se sente fatigada, o coração acelera ao esforço comum e está pálida, este é um sinal de anemia. Os sangramentos anormais são a primeira causa.

  • 5. Problemas urinários

    Com o inchaço do colo do útero, a bexiga e os rins podem ficar comprimidos dificultando a passagem da urina e o total esvaziamento da bexiga, podendo causar dor e/ou até mesmo infecção urinária.

  • 6. Dor contínua nas pernas, quadris ou costas

    Assim como ao inchar o colo do útero comprime órgãos internos, também pode comprimir vasos sanguíneos dificultando a irrigação da pélvis e das pernas, bem como o retorno sanguíneo causando dores, inchaços nas pernas e tornozelos.

  • 7. Perda de peso

    Todos os tipos de câncer costumam diminuir ou até mesmo suprimir o apetite. Além disso, o inchaço já mencionado do colo do útero pode comprimir o estômago, diminuindo o espaço para adequada alimentação, o que certamente irá reduzir o peso.

  • Importante

    Vale ressaltar que os mesmos sintomas podem significar outras coisas que não necessariamente o câncer cervical. Só o médico pode dar o diagnóstico.

    Existem fatores de risco associados e ao contrário do que se pensa não só as mulheres desenvolvem câncer pelo HPV. Os homens também sofrem risco de que a doença surja em outras partes do corpo como no pênis, reto ou cavidade oral.

    Os fatores de risco mais conhecidos são:

    • Tabagismo
    • Uso de drogas
    • Uso de contraceptivo oral prolongado
    • Infecções pelo vírus herpes simples tipo 2 ou C. trachomatis (clamídia)
    • Multiplicidade de parceiros sexuais
    • Sexo sem proteção
    • Imunidade baixa

    A maioria das pessoas já teve contato ou foi infectada por algum desses tipos de HPV. Por ser de grande incidência entre a população sexualmente ativa é bom estar atento a sinais e sintomas e fazer exames preventivos. O mais comum dos exames é o Papanicolau, que pode ser feito pelo SUS em qualquer posto de saúde do Brasil.

    Atualmente há um programa de vacinação para meninas entre 9 e 11 anos de idade. As de 12 e 13 anos também devem ser vacinadas, caso ainda não foram. Segundo o Ministério da Saúde “a vacina tem maior eficácia se for administrada em adolescentes que ainda não foram expostas ao vírus, pois, nessa idade, há maior produção de anticorpos contra o HPV que estão incluídos na vacina.

     

  • Retirado de: http://familia.com.br/authors/stael-f-pedrosa-metzger; http://familia.com.br/saude/7-sinais-de-cancer-cervical-que-as-mulheres-precisam-observar?Elis=

         Minha irmã oriente também outras mulheres sobre a importância da prevenção.

         Tenha uma semana abençoada! Um abraço!

         Rosielly Souza