Arquivo | dezembro 2018

Natal todos os dias…

Olá minha irmã a graça e a paz do Senhor!

” Se deixarmos” Jesus transforma a nossa vida todos os dias, Ele molda nosso caráter para ficarmos mais parecidas com Ele. É muito importante compreendermos tudo que Ele fez por nós e ainda faz, para valorizarmos todas as oportunidades que Ele nos dá.

Nessa época de Natal, a maioria de nós está correndo de um lado para o outro organizando as coisas para a reunião de família, organizando a casa, se confraternizando na igreja, no trabalho, pensando no que será servido e nos presentes. Essa época já é tradição unir mais a família e amigos.


Na correria em buscar algo perfeito para as festas, não podemos esquecer de JESUS. Seria tão bom se o Natal fosse todos os dias de nossa vida! Porque Jesus tem permanecido conosco e cuidando de cada detalhe todos os dias. Isso deveria ser lembrado toda hora, principalmente nas dificuldades e alegrias.

Já parou pra pensar se o cuidado com o próximo, esse carinho, essa empolgação e planejamento fossem todos os dias do ano?

No Natal sempre há um empenho na preparação da comida e decoração… quem vai na ceia, para onde vamos? Seria tão bom se todas as vezes que ao receber alguém em nossa casa preparássemos tudo da mesma forma!

Precisamos fazer a diferença! Nos preparar mais para fazer a diferença na vida das pessoas que convivem conosco.

A cada dia o Senhor Jesus nos convida a melhorar, existem pessoas que permanecem do mesmo jeito durante a vida toda. Não adianta preparar algo especial para quem você ama no natal e no resto do ano não se empenhar com mais nada. Não é isso que o Senhor ensina!

Dá mesma forma, devemos buscar sabedoria para honrar o Senhor no Natal e em todas as reuniões que ocorrem em nossa casa durante o ano. Ele sempre deve ser o centro da nossa vida.

Precismos aprender a ser mais amorosas com o Senhor para declarar esse amor. Também precisamos aproveitar o momento que o Sr. nos dá para ser amorosas e cuidadosas com as pessoas que amamos e que nos cercam.

Pense nisso minha irmã! Você é muito especial para ficar parada sem fazer a diferença!

Que Jesus te abençoe e te dê sabedoria!

Um abraço!

Rosielly Souza

Anúncios

Casa de mãe

mae

Olá! A paz do Senhor!!!

Espero que tudo esteja bem com você! Tenho lido tantas coisas, orado é refletido sobre o ano, que já está quase no fim.

Hoje me deparei com esse texto e compartilho com você! É impressionante como as lembranças são boas e o Senhor nos dá oportunidades de aprender e valorizar os pequenos momentos.

Casa de mãe depois que os filhos se vão

“Casa de mãe depois que os filhos se vão é um oratório. Amanhece e anoitece, prece. Já não temos acesso àquelas coisinhas básicas do dia a dia, as recomendações e perguntas que tanto a eles desagradavam e enfureciam: com quem vai, onde é, a que horas começa, a que horas termina, a que horas você chega, vem cá menina, pega a blusa de frio, cadê os documentos, filho(…)

Casa de mãe depois que os filhos se vão é lugar de silêncio, falta nela a conversa, a risada, a implicância, a displicência, a desorganização. Falta panela suja, copos nos quartos, luzes acesas sem necessidade…

Aliás, casa de mãe, depois que os filhos se vão, vive acesa. É um iluminado protesto a tanta ausência.

Casa de mãe depois que os filhos se vão tem sempre o mesmo cheiro. Falta-lhe o perfume que eles passam e deixam antes da balada, falta cheiro de shampoo derramado no banheiro, falta a embriaguez de alho fritando para refogar arroz, falta aroma da cebola que a gente pica escondido porque um deles não gosta ( mas como fazer aquele prato sem colocá-la?), falta a cara boa raspando o prato, o “isso tá bão, mãe”. O melhor agradecimento é um prato vazio, quando os filhos ainda estão. Agora, falta cozinha cheia de desejos atendidos.

Casa de mãe depois que os filhos se vão é um recorte no tempo, é um rasgo na alma. É quarto demais, e gente de menos.

É retrato de um tempo em que a gente vivia distraída da alegria abundante deles. Um tempo de maturar frutos, para dá-los a colher ao mundo. Até que esse dia chega, e lá se vai seu fruto ganhar estrada, descobrir seus rumos, navegar por conta própria com as mãos no leme que você , um dia, lhe mostrou como manejar.

Aí fica a casa e, nela, as coisas que eles não levam de jeito nenhum para a nova vida, mas também não as dispensam: o caminhão da infância, a boneca na porta do quarto, os livros, discos, papéis e desenhos e fotografias – todas te olhando em estranha provocação.

Casa de mãe depois que os filhos se vão não é mais casa de mãe. É a casa da mãe. Para onde eles voltam num feriado, em um final de semana, num pedaço de férias.

Casa de mãe depois que os filhos se vão é um grande portão esperando ser aberto. É corredor solitário aguardando que eles o atravessem rumo aos quartos. É área de serviço sem serviço.

Casa de mãe depois que os filhos se vão tem sempre alguém rezando, um cachorrinho esperando, e muitos dias, todos enfileirados, obedientes e esperançosos da certeza de qualquer dia eles chegam e você vai agradecer por todas as suas preces terem sido atendidas.

Por que, vamos combinar, não é que você fez direitinho seu trabalho, e estava certo quem disse que quem sai aos seus não degenera e aqueles frutos não caíram longe do pé?

E saudade, afinal, não é mesmo uma casa que se chama mãe?

(Texto atribuído a Miryan Lucy Rezende)”

E muitas de nós com filhos pequenos reclama pela falta de tempo e dificuldades, mas é preciso compreender que tudo passa depressa e chegará um tempo que aguardaremos ansiosas por uma ligação ou visita.

É bom lembrar que há algum tempo nascemos, crescemos, aprendemos e fomos embora da casa dos nossos pais.

No final, o que restará serão apenas as lembranças! Por isso, aproveite seu tempo, enquanto ele existe. O amanhã somente a Deus pertence!

Um abraço e tenha uma semana abençoada!

Rosielly Souza