Arquivo de Tag | filhos

Essa é a receita pra quase tudo…

Olá minha irmã! Após escrever de forma mais detalhada sobre identidade e a importância de enxergar o outro de forma empática agora vamos falar sobre a fórmula da comunicação para se evitar conflitos.

Quando digo fórmula é porque é fórmula mesmo! Não tem como ser mal interpretada se você seguir os quatro passos ensinados na comunicação não- violenta.

O Senhor te conhece e sabe sua capacidade de mudança e transformação. Jesus é nosso maior exemplo de amor, de como se comunicar e se colocar no lugar do outro. Não adianta termos um ” discurso” cristão lindo e não fazermos a diferença…

Nosso objetivo deve ser amadurecer no Senhor, buscar mudança de vida através da intimidade com Ele e querer ir para o céu no dia que Ele chamar. Não dá pra viver o evangelho da boca pra fora.

Então Deus nos dá estratégias para melhor comunicação. Tenho certeza que Ele inspira as pessoas como foi o o Psicólogo Marshall Rosenberg. Esse psicológo criou a teoria da comunicação não violenta em 1961. Ele se especializou em psicologia social, estudou as religiões comparando com suas vivências pessoais.

11

Como já falei algumas vezes: precisamos aprender a escutar para entender e não para responder. Sempre que escutamos ou vemos algo nossa tendência é fazer julgamentos.

Então a tendência é sempre jogar uma frases do tipo: Você não me entende. Você nunca… você não…você é… você tem que ser mais…

É preciso aprender a observar mais, pensar e depois buscar a sabedoria no Senhor para agir. Portanto é aí que está a chave de tudo!

A Linguagem não violenta fala sobre compreender o FATO EM SÍ. E existem os quatro passos para fazer isso. Com certeza se você compreender isso te garanto que sua vida mudará para melhor a partir de agora.

1- OBSERVAR O FATO SEM JULGAR. Você viu o problema. Se prenda apenas ao que você viu,

Exemplo: Você organizou a casa de forma impecável, daí seu marido chega com seus filhos. Você sai para ir ao supermercado e quando você retorna está tudo desorganizado. O quarto dos filhos com todos os brinquedos no chão. A sala está com as almofadas no chão uma bagunça só. O que você faz?

2- SENTIMENTO: O que você sentiu com o fato: mágoa, assustada, alegre, raiva, irritada, tristeza, .Saber e falar sobre isso não demonstra fraqueza e sim desarma uma reação.

Exemplo: Ao ver a bagunça você pára e observa o que está fora do lugar. Daí você identifica o que está sentindo. Será que é raiva ou você está chatiada porque arrumou tudo e eles não valorizaram. Qual seu sentimento?

Exemplo: Como você abordaria nesse caso? Seria assim: Filhos, estou vendo que o quarto está com os brinquedos no chão. Vocês viram que eu arrumei, porque você merecem o melhor. Além disso, tenho medo de você tropeçarem nos brinquedos e se machucarem.

3- RECONHECER A NECESSIDADE: Valores, desejos que geram esses sentimentos, ordem, limpeza, respeito, inclusão,

Amor, eu vi que tem as almofadas e as coisa da sala estão no chão, Eu tinha organizado pra ficar um ambiente bom pra nós.

Exemplo: Filhos, vocês podem guardar os brinquedos por favor.

4- FAZER O PEDIDO: me ajuda a fazer isso? Você pode? Eu preciso de…

Amor você me ajuda a manter a sala organizada por favor.

Também quando você fizer o pedido não significa que eles vão fazer, mas já é um grande começo porque eles verão que você mudou.

Minha irmã, é claro que Deus vai te dar sabedoria para saber observar sem julgar, pois devemos buscar melhorar.

No próximos posts estarei dando mais exemplos concretos.

Lembre- se: Em 2019 temos que buscar amadurecer. Um abraço! Rosielly Souza

Anúncios

Cuidado com o que você fala perto de seus filhos…

desenho

 

Olá! Vi essa charge e fiquei imaginando…

Realmente, é preciso tomar muito cuidado com o que falamos perto das crianças…

Precisamos buscar sabedoria para não fazer comentários!

Fico observando minha filha de 7 anos e é impressionante como ela é observadora e quer saber de tudo.

Lembre- se; nossas crianças são como  “esponjas” que absorvem coisas boas e ruins.

Os pais são os maiores exemplos!

Um comentário seu poderá repercutir na vida inteira de seus filhos.

Realmente é a lei da colheita.

Busque sabedoria e comente somente o necessário.

Com certeza, seus filhos estarão na igreja com você ao chegarem a adolescência.

Pense nisso!

Um abraço!

Rosielly Souza

Pais, sem pressa!

Olá! Achei interessante essa publicação sobre a criação dos filhos publicada na Folha de São Paulo.

Compartilho com você!

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/equilibrio/138500-pais-sem-pressa.shtml

Sempre podemos estar repensando nosso papéis enquanto mães!

Será que não estamos comprometendo demais o tempo dos nossos filhos?

Um abraço!

Rosielly Souza

 

12 maneiras de ser a pior mãe do mundo

100_1570
Olá! Seguem algumas orientações que achei muito interesse sobre a criação de filhos. A bibliografia está registrada abaixo do texto.
Boa leitura!
12 maneiras de ser a pior mãe do mundo:1. Faça seus filhos irem para a cama a uma hora razoável. Será que existe alguém que não tenha ouvido o quão importante uma boa noite de sono é para o sucesso de uma criança? Faça seu papel de mãe e coloque seu filho na cama. Ninguém nunca disse que a criança tinha que querer ir para a cama. Eles podem brigar no início, mas com persistência, eles aprenderão que você está falando sério. E depois é só aproveitar para ter um tempo só seu ou para o casal.

2. Não dê a seus filhos sobremesa todos os dias. Doces devem ser guardados para ocasiões especiais. Isso é o que os deixa mais gostosos. Se você ceder às exigências de seu filho de ter doces o tempo todo, ele não vai apreciar o gesto quando alguém lhe oferecer um doce como recompensa ou presente. Além disso, imagine quanto isso pode custar caro quando o levar ao dentista e ao médico.

3. Faça-os pagar por suas próprias coisas. Se você quer algo, você tem que pagar por aquilo. É assim que funciona a vida adulta. Para conseguir tirar seus filhos do porão no futuro você precisa ensiná-los agora que eletrônicos, filmes, videogames, esportes e acampamentos que eles gostam têm um preço. Se eles tiverem que pagar tudo ou pelo menos parte do preço eles irão apreciar mais. Você também pode evitar pagar por algo que seu filho queira somente até conseguir aquilo. Se ele não está disposto a ajudar a pagar pelo menos metade, ele provavelmente não queira aquilo tanto assim.

4. Não mexa os pauzinhos. Alguns jovens têm dificuldade quando começam a trabalhar e percebem que as regras também se aplicam a eles. Eles precisam chegar no horário e fazer o que o chefe mandar. E (ai, ai!) parte do trabalho eles nem gostam de fazer. Se você não gosta do professor do seu filho, do seu parceiro de ciências, sua posição no campo de futebol ou no ponto de ônibus evite a tentação de mexer os pauzinhos para que seu filho consiga as coisas do jeito que ele preferir. Você está roubando a chance do seu filho de tirar o melhor e aprender com a situação. Lidar com uma situação menos que ideal é algo que ele terá que fazer o tempo todo na vida adulta. Se a criança nunca aprender a lidar com isso, você a está levando ao fracasso.

5. Faça-os fazer coisas difíceis. Não interfira automaticamente e tome conta quando as coisas se tornarem difíceis. Nada dá a seus filhos um melhor impulso de confiança do que não fugir do problema e realizar algo difícil por eles mesmos.

6. Dê-lhes um relógio e um despertador. Seu filho estará melhor se aprender as responsabilidades de controlar seu próprio tempo. Você não estará sempre lá para pedir pra ele desligar a TV e ir para seus compromissos.

7. Não compre sempre o melhor e o mais recente. Ensine seus filhos a terem gratidão e satisfação pelo que eles têm. Estar sempre preocupado com o próximo grande lançamento e quem já o tem vai levá-los a uma vida de dívidas e infelicidade.

8. Deixe-os experienciar a perda. Se seu filho quebrar um brinquedo, não compre um novo para substituí-lo. Ele vai aprender uma valiosa lição sobre cuidar de suas coisas. Se seu filho esquecer de entregar uma tarefa na escola, deixe-o ficar com uma nota mais baixa ou faça-o ir conversar por si mesmo com a professora sobre conseguir crédito extra. Você estará ensinando responsabilidade – quem não quer filhos responsáveis? Eles podem ajudá-la a se lembrar de todas as coisas que você se esquece de fazer.

9. Controle a mídia. Se todos os outros pais deixassem seus filhos pularem de uma ponte você também deixaria? Não deixe seu filho assistir a um filme ou jogar um videogame que seja inapropriado para crianças só porque as outras crianças o fizeram. Se você defender e lutar por manter a educação decente de seus filhos outros podem seguir suas ações. Crie uma pressão positiva.

10. Faça-o se desculpar. Se seu filho fizer algo errado, faça-o confessar e enfrentar as consequências. Não varra a grosseria, bullying, ou desonestidade pra debaixo do tapete. Se você errar, dê o exemplo e encare as consequências de seu erro.

11. Importe-se com suas maneiras. Até mesmo crianças pequenas podem aprender as noções básicas de como tratar outro ser humano com respeito e dignidade. Ao fazer da boa educação um hábito você estará fazendo a seus filhos um grande favor. Boas maneiras é o caminho certo para conseguir o que você quer. “Você pega mais moscas com mel do que com vinagre.”

12. Faça-os trabalhar – de graça. Seja ajudando a avó no jardim ou voluntariando-se para ser tutor de crianças mais novas, faça o serviço parte da vida de seus filhos. Isso os ensina a olhar além de si mesmos e ver que outras pessoas também têm necessidades e problemas – às vezes maior do que sua própria.

Com todo o tempo que você passar sendo má, não se esqueça de elogiar e recompensar seu filho por comportamento excepcional. E sempre se certifique que eles saibam que você os ama. Com um pouco de sorte, seus filhos podem virar o jogo e fazer sua geração conhecida por sua esperança e promessa. : 

http://familia.com.br/12-maneiras-de-ser-a-pior-mae-do-mundo?Itemid=631&utm_campaign=Newsletter+email&utm_content=newsletter&utm_medium=email&utm_source=newsletter#sthash.2118X9hL.d

Um abraço e tenha uma ótima semana!
Rosielly Souza